O LINK PRINCIPAL DA CENTRAL DE TRANSMISSÃO REGIONAL STUDIO C Record Play Plus Ao Vivo 128 KBPS

sábado, 20 de julho de 2019

No Gre-Nal de reservas Inter sai na frente e Grêmio busca empate morno O Placar de 1 a 1 frustrou expectativas de subir na tabela,mas evitou abalos nos vestiários

O Gre-Nal de reservas deixou evidente o desentrosamento das equipes, mas teve momentos de grande disputa. Um Inter mais organizado saiu na frente e pecou ao não ampliar quando tinha a iniciativa. O Tricolor aproveitou para se recompor e deu a resposta no segundo tempo, confirmando o empate em 1 a 1 no Beira-Rio. Resultado que não ajudou as campanhas para subir na tabela, mas também evitou maiores crises nas sequências de Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil.
Com o ponto somado, o Inter vai a 17 pontos no quinto lugar dentro da zona de Libertadores. O Grêmio, por sua vez, chega a 15 e estaciona em décimo. No próximo sábado, os comandados de Odair Hellmann encaram o Ceará no Beira-rio, enquanto os gremistas enfrentam o CSA em Alagoas, no dia 29, segunda-feira.
O jogo teve bastante movimentação na primeira etapa, ainda que a falta de entrosamento tenha aparecido em vários lances. No lado colorado, Wellington Silva era destaque mostrando velocidade e superando a marcação tricolor, enquanto Rafael Sobis dava o ritmo e encontrada espaços. Entre os gremistas, Capixaba e Pepê fizeram as melhores combinações, com Luan muito apagado.
O Colorado vai para cima
A primeira grande chance da partida foi do Inter, e veio dos pés de Sobis. Aos cinco minutos, Edenilson foi lançado livre na área pelo atacante e chutou forte. Julio Cesar  caiu bem no canto esquerdo e e espalmou nos pés de Wellington Silva. O atacante tinha tudo para marcar, mas Julio Cesar se recuperou para abafar a conclusão.
Seguiu-se um período de poucas oportunidades e muitos erros de passe. Diego Tardelli começou a sair da área e vir buscar a bola no meio, mas o Grêmio ficou sem alternativas para conclusão perto do gol. O Colorado, por sua vez, ameaçava superar a defesa gremista em transições muito rápidas da defesa para o ataque.
Aos 20 minutos, entretanto, Wellington Silva foi derrubado ao lado da área, pela esquerda. Sobis pegou a bola e ajeitou para cruzar. O atacante mandou com efeito, em direção ao gol. Julio César estava pronto para defender, mas Paulo Miranda tentou afastar de cabeça e mandou contra as próprias redes. Festa dos colorados com 1 a 0 no Beira-Rio.
Foi somente aos 26 minutos que o Grêmio foi chutar a gol. Capixaba acionou Pepê, que cortou para o meio e chutou cruzado. A bola passou sobre a meta. A melhor chance tricolor ocorreu aos 30 minutos. Rômulo aparou rebote de primeira e pegou na veia: saiu uma bomba que resvalou no poste esquerdo antes de sair em tiro de meta.
O segundo tempo teve uma queda forte de desempenho de ambas as equipes. O Inter recuou suas linhas, mas ainda tinha as melhores jogadas. O Grêmio, desorganizado, tocava a bola sem o objetivo necessário.
Situação que obrigou Julio César a fazer mais boas defesas. Aos 3, Wellington Silva recebeu na esquerda, driblou Leo Moura e centralizou para Sobis. O atacante invadiu a área e bateu de canhota, mas o goleirão catou firme. O Grêmio tentou responder, mas sempre com chutes de longe. Thaciano isolou aos 13 e Pepê tentou aos 17, mandando ainda mais distante da meta.
O Tricolor achou o gol
Renato lançou Everton no lugar de Galhardo e o Tricolor começou a preocupar mais a defesa colorada. Patrick entrou no lado vermelho, substituindo Parede e logo fez boa jogada. O volante foi lançado na esquerda, superou a marcação e chutou com pouco ângulo. Julio César fechou o espaço e fez a defesa.
A falta de iniciativa do Inter, contudo, cobrou a conta aos 25 minutos. Capixaba recebeu na esquerda e cruzou com perfeição na área. Cuesta e Klaus bateram cabeça e Luan subiu entre os dois. Apagado na partida, ele desviou com perfeição no canto direito e empatou a partida.
O empate acendeu o Grêmio, que chegou perto da virada. Aos 33, Klaus errou na tentativa de afastar e sobrou para Tardelli. O atacante mandou a bomba com endereço certo, mas a bola desviou na defesa. No contragolpe colorado, Nataniel cruzou com perigo, a bola ficou viva e Sobis cabeceou para o gol. Julio César foi bem para agarrar. Já nos acréscimos, Danilo Fernandes fez suas primeiras e essenciais defesas. Everton lançou Pepê, que cortou para o meio e chutou forte no canto direito, parando nas mãos do arqueiro. Ele recuperou o rebote e mandou mais uma bomba para o gol, mas Danilo fez nova defesa. Empate morno, mas suficiente para colorados e gremistas.

Brasileirão 2019 - 11ª Rodada 

Inter 1
Danilo Fernandes; Heitor, Emerson Santos (Klaus), Víctor Cuesta e Natanael; Rodrigo Lindoso, Edenílson e Nonato (Pedro Lucas); Guilherme Parede (Patrick), Rafael Sóbis e Wellington Silva. Técnico: Odair Hellmann. 
Grêmio 1 
Júlio César; Léo Moura, Paulo Miranda, David Braz e Juninho Capixaba; Romulo, Thaciano e Rafael Galhardo (Everton); Luan, Diego Tardelli (Darlan) e Pepê. Técnico: Renato Portaluppi. 

Cartões Amarelos: Heitor, Rafael Sóbis e Edenílson (Internacional) e Thaciano e Romulo (Grêmio). 
Gols: Paulo Miranda (contra), aos 21 minutos do primeiro tempo, e Luan, aos 25 do segundo. 
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS). 
Público: 33.958 pagantes (38.201 ao total). 
Renda: R$ 1.697.655,00. 
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RGS). 

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Inter vence Palmeiras nos pênaltis e assegura passagem para as semifinais da Copa do Brasil 2019 O Colorado fez 1 a 0 no tempo normal,com polêmica,gol anulado no VAR,confusão e finalmente o triunfo nas penalidades

Uma noite dramática define o que foi o confronto entre Inter e Palmeiras, nesta quarta-feira pelas quartas de final da Copa do Brasil. O Colorado foi sempre melhor e ganhou por 1 a 0 no tempo normal. Vai reclamar sempre, contudo, do gol anulado já nos acréscimos e que levou a partida para os pênaltis. Nas cobranças, festa no Beira-Rio e classificação para a semifinal.
O Inter apagou qualquer lembrança do time que perdeu para o Palmeiras na última semana. Os comandados de Odair Hellmann aproveitaram o empurrão da torcida e peitaram o Palmeiras desde o apito inicial. Mesmo com o Verdão levando muito perigo nos contragolpes, o Colorado respondeu com imposição ofensiva e castigando o goleiro Weverton.
A artilharia pesada do ataque colorado tinha Nico López e Guerrero abastecidos por D'Alessandro. Além disso, Patrick e Edenilson de motorzinhos do time viraram usinas de força, lutando por cada bola e fazendo ela chegar na área adversária. 
O Inter pressiona até marcar
A disposição gerou a primeira chance aos três minutos da etapa inicial. Guerrero acionou D'Alessandro na meia-lua, o meia chutou de primeira e Weverton espalmou esquisito para escanteio. O goleiro voltou a trabalhar aos 10 minutos. D'Alessandro cobrou falta com perfeição na cabeça de Moledo. O zagueiro subiu livre e cabeceou firme no canto direito, mas o goleirão fez milagre para espalmar. O ímpeto do Inter sofreu um leve susto em seguida, quando o peruano dividiu uma bola na área e sentiu o tornozelo. Após atendimento, contudo, o peruano voltou confiante. 
O Palmeiras, porém, não se resumia a aguentar a pressão. Aos 18, Dudu foi acionado na direita, deu uma casquinha para Zé Rafael na cara do gol, Lomba foi esperto para interceptar e evitar chance clara de gol.
Era a hora dos volantes colorados aparecerem. Primeiro, Edenilson quase marcou gol olímpico em escanteio cobrado da esquerda. Lindoso, então, conseguiu a assistência de cabeça para Guerrero, mas o peruano estava desequilibrado e mandou fraco. Guerrero tentou em novo passe de Lindoso, parou em grande defesa de Weverton num chute cruzado. Foi brigado e a luta valeu à pena aos 40 minutos. Edenilson brigou pela bola na área, a dividida caiu nos pés de Patrick. Ele tinha dois marcadores na frente, enfiou o pé e um pequeno desviou matou Weverton. A bola estufou as redes no canto esquerdo e os colorados estufaram os pulmões com o grito de gol no 1 a 0.
Em seguida, faltou ar, pois o Palmeiras ainda levou perigo no primeiro tempo. Dudu recebeu na meia-lua e bateu com veneno no canto esquerdo, Marcelo Lomba voou rente ao poste para espalmar e manter o Inter na frente antes do intervalo.
Veio o segundo tempo e os donos da casa continuaram a impor seu jogo no Beira-Rio. O Inter reduziu um pouco o ímpeto ofensivo, mas pouco deixou o Palmeiras criar.
Quem trabalhou, inclusive, foi o goleiro Weverton. Aos 7, Nico Lopez recebeu na área. De cara para o gol, ele chutou forte de primeira, o goleirão foi no cantinho, com muito reflexo e mandou para escanteio. Aos 12, D'Ale levantou na área, Cuesta mandou de peixinho. Era o gol da classificação, mas tinha o goleiro palmeirense na frente para fazer milagre.
Polêmicas e mais drama
Sem maior presença no ataque, o Palmeiras dependia de um lance à parte para fazer o gol. E quase aconteceu. Aos 35 minutos, Felipe Melo roubou bola na frente da área, invadiu e caiu na trombada com Edenilson. O árbitro marcou pênalti, para depois fazer a revisão no VAR e determinar lance normal.
O VAR voltou a ser o centro das atenções já aos 47. O Inter fez o gol da classificação, mas não valeu. D'Alessandro cobrou escanteio com perfeição, Cuesta desviou de cabeça e mandou por baixo do goleiro Weverton. A arbitragem de vídeo foi acionada e um contato de Moledo com Felipe Melo determinou a anulação do lance. D'Alessandro foi expulso, com o segundo cartão amarelo, ainda antes da revisão, ao reclamar com o juiz. 
Vieram as cobranças e o Inter foi perfeito até a quarta cobrança. O Palmeiras, por sua vez, viu Lomba defender com os pés na cobrança de Gustavo. Luan ainda chutou bola no travessão, que caprichosamente bateu nas costas de Lomba e entrou. Então, Patrick teve a chance de decidir na quinta cobrança. Só que o volante chutou fraco no canto direito, para defesa de Weverton. Vieram as alternadas. Nonato cobrou firme, Weverton tocou na bola, mas entrou para o 5 a 4. A festa no Beira-Rio só veio quando Moisés explodiu a bola no travessão, definindo o avanço do Colorado.
Copa do Brasil 2019 - Quartas de final
Inter 1 (5)
Marcelo Lomba; Bruno (Nonato), Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel (Wellington Silva); Rodrigo Lindoso; D'Alessandro, Edenilson, Patrick e Nico López (Rafael Sobis); Paolo Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.
Palmeiras 0 (4)
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo e Bruno Henrique; Dudu, Lucas Lima (Moisés) e Zé Rafael (Willian); Deyverson (Carlos Eduardo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Gol: Patrick (40min/1ºT).
Cartões amarelos: D'Alessandro, Nico López, Nonato (I); Dudu, Luan, Gustamo Gómez, Marcos Rocha (P). 
Cartão vermelho: D'Alessandro.
Público total: 42.344.
Renda: R$ 2.306.661,00.
Arbitragem: Rafael Traci (SC), auxiliado por Bruno Boschilia (PR) e Rodrigo Henrique Corrêa (RJ). VAR: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC).
Local: Beira-Rio Em Porto Alegre RGS.

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Grêmio vence o Bahia na Fonte Nova lotada e vai às semifinais da Copa do Brasil 2019 Diante de mais de 46 mil torcedores, Alisson marcou único gol do jogo, que garantiu a classificação em duelo de tricolores

O Grêmio fez mais um confronto equilibrado com o Bahia em uma Fonte Nova completamente lotada, com mais de 46 mil pessoas. Mas, dessa vez, o detalhe decidiu em favor do Tricolor gaúcho. A vitória por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, sobre o time de Roger Machado, garantiu a classificação para mais uma semifinal de Copa do Brasil, a 14ª da história do Grêmio.
O único gol do jogo foi marcado por Alisson, aos 20 minutos do segundo tempo.  O meia ainda fez jogada que resultou em expulsão de defensor do Bahia, o que facilitou ainda mais a classificação do Grêmio.
Com a classificação, o Grêmio espera a definição do confronto entre Flamengo x Athletico-PR, que acontece às 21 h e 30 min, no Maracanã, para saber quem será o adversário na semifinal da Copa do Brasil. No primeiro jogo, empate em 1 a 1, na Arena da Baixada.
O Grêmio fica com a bola, mas quase não cria 
O técnico Renato Portaluppi optou por começar com André no comando de ataque, deixando Diego Tardelli no banco. Com Everton, Jean Pyerre e Alisson na meia, o Grêmio iniciou o duelo ficando com a posse da bola, percorrendo todos os setores do campo defensivo do Bahia, que só se defendeu nos minutos iniciais. 
A tônica do primeiro jogo se repetiu. Mesmo mantendo a bola - números chegaram próximo a 80% nos primeiros 20 minutos - o Tricolor gaúcho não conseguiu levar perigo à defesa do Bahia. Não finalizou nem criou chances claras de marcar ao longo de quase toda a etapa inicial.
O Bahia criou boa chance, a primeira do jogo, apenas aos 25 minutos do primeiro tempo. Após falta levantada na área, Lucas Fonseca pegou o rebote e chutou de primeira, obrigando Paulo Victor a fazer boa defesa. Aos 34, Arthur voltou a levar perigo. Já a melhor chance do Grêmio foi criada por Jean Pyerre e teve conclusão de André, aos 42 do primeiro tempo. 
Mais uma vez, o Grêmio se mostrou dependente de Everton. Mesmo quando as jogadas não terminavam na ponta esquerda, o meia atacante da Seleção brasileira participava da jogada, ora distribuindo a bola, ora carregando a marcação. Sobrecarregado, encontrou dificuldades para levar o time à frente. 
Alisson decide e leva o Grêmio à semifinal 
O Grêmio voltou para a etapa final fazendo aquilo que já havia feito no início do primeiro tempo. Ficou mais tempo com a bola, mas teve dificuldades novamente para conseguir infiltrar na defesa da equipe de Roger Machado.
Aos 20 minutos do segundo tempo, em momento equilibrado do confronto, Alisson começou a decidir a favor do Grêmio. Matheus Henrique achou o meia livre na direita, e o camisa 23 passou por dois marcadores e, de canhota, finalizou rasteiro para vencer Douglas e abrir o placar na Arena Fonte Nova. 
Foi de novo Alisson quem facilitou ainda mais a vida do Grêmio. Ele arrancou em direção ao gol e sofreu falta fora da área, quando sairia cara a cara com Douglas. Inicialmente, árbitro Bráulio da Silva Machado marcou pênalti, mas voltou atrás e deu falta fora da área, corretamente, ao revisar lance no VAR. 
Por conta da jogada, expulsou Moisés e deixou o Bahia em desvantagem numérica. Com um a mais e a vantagem no marcador, só bem que restou ao Grêmio so poder gastar o relógio para assegurar a classificação às semifinais. 
Copa do Brasil 2019 - Quartas de final
Bahia 0
Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Elton (Shaylon), Eric Ramires (Fernandão) e Gregore; Elber (Arthur Kaíke), Artur e Gilberto. Técnico: Roger Machado
Grêmio 1 
Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Maicon (Rômulo), Jean Pyerre (Luan), Alisson (Pepê) e Everton; André. Técnico: Renato Portaluppi
Gol: Alisson (20/2T)
Cartões amarelos: Kannemann, Maicon, Everton, Renato Portaluppi e Matheus Henrique (Grêmio); Elton e Gilberto (Bahia) 
Cartões vermelhos: Moisés (Bahia) 
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC) 
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Público: 46.663
Renda: 1.349.590,50

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Inter sofre gol no fim e perde para o Athletico-PR por 1 a 0 Vitinho marcou aos 43 minutos do segundo tempo

Parecia que os reservas do Inter iriam segurar o ímpeto dos titulares do Athletico-PR. As duas equipes criaram poucas chances ao longo de todo o jogo, e tudo se encaminhava para um empate em 0 a 0. No entanto, com gol marcado por Vitinho, aos 43 minutos do segundo tempo, saiu de campo derrotado pelo placar de 1 a 0, na tarde deste domingo, na Arena da Baixada.
Com o resultado, o Inter permanece com 16 pontos, e caiu para a quinta colocação, por conta da vitória do Atlético-MG sobre a Chapecoense. Já o Athletico-PR foi a 13 pontos e subiu para a 12ª posição. 
Agora, o Inter vira a chave e volta a campo na próxima quarta-feira, às 21 h e 30 min, contra o Palmeiras, pelo jogo de volta das quartas de final Copa do Brasil.    Já pelo Campeonato Brasileiro, o próximo compromisso é o clássico Gre-Nal, no sábado, às 19 h, também no Beira Rio.
Poucas chances de gol na etapa inicial
Mesmo com os reservas, o Inter mostrou iniciativa no início do confronto, e logo aos 2 minutos marcou. No entanto, o árbitro nem precisou acionar o VAR para anular o gol. Tréllez, em clara posição irregular, driblou o goleiro e empurrou para as redes. No entanto, impedimento foi assinalado e placar seguiu zerado. 
O lance inicial deu a impressão de que o Inter criaria chances, mas as finalizações pararam por aí. Sobis até tentou, de fora da área, aos 13 minutos, mas bola parou no goleiro Santos, que fez fácil defesa. O Athletico-PR também pouco criou. A melhor chance veio aos 16, em tentativa pela direita, na qual Marcelo Cirino buscou encobrir o goleiro Lomba. A bola parou no travessão.
Ao longo da primeira etapa, o Athletico teve mais volume de jogo. Acabou com 59% a 41% na posse de bola, mas não foi efetivo. A equipe de Tiago Nunes não transformou a superioridade em finalizações claras, e o Inter não conseguiu aproveitar os contra-ataques.
O Inter sofre castigo no fim do jogo
Já na segunda etapa, a tônica do confronto foi a mesma. O Athletico ficou mais com a bola, mas de novo não conseguia criar grandes chances para marcar.
Após as trocas de parte a parte, o jogo começou a mudar de característica.            A partir dos 20 do segundo tempo, as duas equipes passaram a explorar mais a velocidade e criar mais chances de gol.
Quem levou a melhor diante desse cenário foi o Athletico-PR. Aos 43 minutos do segundo tempo, Vitinho, que havia saído do banco, driblou Heitor e bateu no canto do goleiro Marcelo Lomba para fazer o gol que decretou a vitória dos paranaenses por 1 a 0. 
Campeonato Brasileirao 2019 - 10ª rodada
Athletico-PR 1
Santos; Jonathan, Pedro Henrique, Leo Pereira e Marcio Azevedo; Lucho González (Bruno Nazário), Bruno Guimarães e Nikão; Marcelo Cirino (Vitinho), Marco Rúben (Thonny Anderson) e Rony. Técnico: Tiago Nunes
Inter 0 
Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Emerson Santos e Natanael (Erik); Rodrigo Lindoso, Rithely (Zé Gabriel), Nonato, Sarrafiore e Rafael Sobis (Wellington Silva); Tréllez. Técnico: Odair Hellmann
Gol: Vitinho (43/2T)
Cartões amarelos: Jonathan, Marcio Azevedo e Rony (Athletico-PR); Roberto, Rodrigo Lindoso e Sarrafiore (Inter)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Público: 14.063
Renda: R$ 321.805,00

Pepê marca dois e o Grêmio vence o Vasco da Gama de virada Com placar de 2 a 1,O Tricolor chega a terceira vitória consecutiva e Ja sobe na tabela do Brasileirao 2019

O Grêmio venceu o Vasco da Gama, por 2 a 1, neste sábado, na Arena, com dois gols de Pepê. O clube visitante abriu o placar em cobrança de pênalti no primeiro tempo, mas o jovem atacante foi o protagonista da virada com gols aos 16 e 40 minutos do segundo tempo.
Renato Portaluppi optou por preservar os titulares para a decisão das quartas da Copa do Brasil, contra o Bahia, na quarta-feira, e escalou um time alternativo, com Luan no comando do ataque. Com o gol sofrido, retirou Rômulo e colocou Everton aos 32 do primeiro tempo. Com a entrada do campeão da Copa América, o time cresceu e buscou o resultado.
Com a vitória, o Grêmio chega aos 14 pontos e ocupa a oitava colocação, após os dois jogos de sábado à tarde. Já o Vasco permanece com nove na 15ª colocação. O Tricolor volta aos gramados na quarta-feira, às 19 h e 15 min, contra o Bahia, na Arena Fonte Nova pela Copa do Brasil.
O Grêmio domina a posse de bola, mas sofre gol de pênalti
O Grêmio dominou as ações ofensivas durante os primeiros 47 minutos de jogo, mas não conseguiu transformar os 67% de posse de bola em finalizações. A equipe de Renato Portaluppi começou a partida atacando pelas laterais com Juninho Capixaba e Leo Moura, com Luan atuando de “falso nove”, saindo para ajuda na armação do jogo. Por conta disso, faltou um homem posicionado dentro da área para tentar cabecear as constantes bolas cruzadas.
Qualquer plano de jogo foi prejudicado, entretanto, com o gol do Vasco. Após cobrança de Valdívia na área, a bola bateu em um jogador do Vasco e foi na direção de Henríquez. Segundo entendimento do árbitro Rodolpho Marques, David Braz puxou o atleta vascaíno no lance, o que definiu a penalidade máxima. Sem observar o lance no monitor do VAR, o juiz autorizou a cobrança de Yago Pikachu. O jogador bateu rasteiro no lado esquerdo, Paulo Victor saltou na direção certa, mas não conseguiu chegar na bola. Grêmio 0 a 1 Vasco.
O primeiro chute a meta do clube carioca ocorreu aos 36 minutos, quando Pepê chutou de fora colocado e Fernando Miguel caiu para fazer a defesa firme. Neste momento, Renato Portaluppi retirou Rômulo e colocou Everton.
Quatro minutos depois, Braz arriscou de fora da área, a bola quicou e o goleiro vascaíno fez a defesa. Aos 45, Paulo Victor salvou o Grêmio após Raul invadir a área e bater rasteiro. O goleiro gremista desviou a bola pela linha de fundo.
O Pepê vira o jogo com dois gols
O segundo tempo começou com um gol marcado por Yago Pikachu. Entretanto, o árbitro viu o lance no VAR e anulou a jogada no início, quando Rossi acertou Matheus Henrique com a mão. Após o lance, o Grêmio ampliou a pressão sobre o adversário. Aos 16 min, Pepê recebeu excelente passe de Luan, invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para Fernando Miguel. Grêmio 1 a 1 Vasco.
Dois minutos depois, Luan recebeu de Everton dentro da área, cortou para o pé esquerdo e chutou. No rebote, a bola sobrou para Pepê, que, na frente de Fernando Miguel, sem marcação, chutou rente ao poste esquerdo da meta vascaína. Aos 26, Luan passou para Everton na entrada da área, que trocou para o pé esquerdo e chutou forte. Fernando Miguel teve que fazer a defesa em dois tempos.
Quatro minutos depois, o treinador gremista retirou Matheus Henrique e promoveu a estreia do centroavante Da Silva. Na sequência, tirou Luan e colocou Patrick. O gol da vitória surgiu aos 40 minutos. Léo Moura cruzou de primeira, Pepê se antecipou ao marcador e cabeceou no ângulo direito de Fernando Miguel.
No último lance do jogo, Talles cabeceou próximo ao poste esquerdo de Paulo Victor, mas o Tricolor obteve a terceira vitória consecutiva.
Brasileirão 2019 - 10ª Rodada
Grêmio 2
Paulo Victor; Leo Moura, Rodriguez, David Braz e Juninho Capixaba; Rômulo (Everton), Matheus Henrique (Da Silva), Jean Pyerre, Thaciano e Pepê; Luan (Patrick).
Técnico: Renato Portaluppi
Vasco 1
Fernando Miguel; Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Ricardo Graça, Danilo Barcelos; Raul, Richard, Marcos Júnior e Valdívia (Marrony); Rossi e Marquinho.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Gols: Yago Pikachu (15 min/1ºT) e Pepê (16 min e 40 min/2ºT)
Cartões amarelos: Richard, Fernando Miguel e Henríquez (V) e Capixaba e Thaciano (G)
Cartões vermelhos: -
Árbitro: Rodolpho Marques (PR).
Auxiliares: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR).
Árbitro do VAR: Paulo Roberto Alves Junior (PR).
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Everton marca, mas Grêmio só empata com o Bahia pela Copa do Brasil Com direito a vaias na Arena, duelo de tricolores terminou com igualdade em 1 a 1, em jogo de ida da competição Copa do Brasil 2019

O Grêmio até tentou. Ate ja Teve mais volume de jogo e chegou a pressionar o Bahia. Saiu ganhando, mas sofreu o empate e não conseguiu criar chances claras para marcar. Pouco finalizou, e acabou só empatando com o Bahia em 1 a 1, na Arena, em partida válida pela ida das quartas de final da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira. 
O gol do Grêmio foi marcado por Everton, de pênalti, no fim da primeira etapa. Já o Bahia empatou com Gilberto, no início do segundo tempo.
Agora,Grêmio e Bahia voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira,17 de julho, de novo às 19 h e 15 min, em Salvador. Quem vencer estará classificado para as semifinais da Copa do Brasil. Como não há gol qualificado, qualquer empate leva o jogo para os pênaltis. Antes, Grêmio enfrenta o Vasco, no sábado, às 17 h, na Arena. 

A Pressão e gol de Everton Cebolinha do Tricolor dos Pampas
O Grêmio começou a partida com intensidade. Nos primeiros 10 minutos, empurrou o Bahia para o seu campo de defesa, rodando a bola por todos os setores para tentar as infiltrações. Nesse tempo, a bola praticamente não saiu de campo.
Apesar de ter a iniciativa ofensiva, o Grêmio teve dificuldades para finalizar. Nos primeiros 20 minutos, não houve nenhum chute na direção do gol de Douglas. O Bahia de Roger Machado, em contrapartida, dificultava o jogo: com as linhas compactadas, impôs dificuldades ao Grêmio na marcação. 
Depois dos 30 minutos, Grêmio teve duas boas chances. Em uma delas, com Jean Pyerre, de fora da área, bola bateu na trave do goleiro Douglas, mas não entrou. Depois, foi a vez de André. Em cabeçada, obrigou o goleiro Douglas a fazer grande defesa. 
Com toda a expectativa criada em cima do atacante, o gol só poderia sair dos pés de Everton. O atacante recebeu bola pela esquerda e, ao tentar driblar o goleiro Douglas, foi derrubado dentro da área. O árbitro nem precisou consultar o VAR para confirmar o pênalti, convertido pelo próprio Everton, para levar o Grêmio em vantagem ao intervalo. 
O Bahia empata cedo na Segunda Etapa
Na etapa final, foi o Bahia quem chegou ao gol nos minutos iniciais. Aos 3 minutos, após escanteio cobrado pelo lado direito, Paulo Victor saiu mal, não cortou o cruzamento e bola que cruzou toda a extensão da área se apresentou para o atacante Gilberto, na segunda trave, apenas empurrar para as redes e empatar o confronto. 
Para tentar mudar o cenário, Renato Portaluppi optou por uma troca dupla, mas foi criticado pela torcida, que vaiou a decisão do técnico. Saíram Jean Pyerre e Alisson, para a entrada de Luan e Pepê.
A tônica do início da etapa inicial se repetiu. Novamente com mais volume e pressão, Grêmio rondou a área do Bahia, mas teve dificuldades para finalizar com perigo. À exceção de um chute de Luan, time quase não concluiu até os 30 minutos do segundo tempo. 
Nos minutos finais, Grêmio exerceu pressão total, e chegou a correr riscos com contra-ataques dos baianos. Houve tempo, ainda, para Felipe Vizeu deixar o campo, sentindo muitas dores no joelho, tornando-se uma preocupação a mais para o Departamento Médico do Tricolor. Com um a menos nos minutos finais, partida acabou empatada em 1 a 1, com direito a mais vaias na Arena          
Copa do Brasil 2019 - Quartas de Final
Grêmio 1
Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon, Matheus Henrique, Alisson (Pepê), Jean Pyerre (Luan) e Everton; André (Felipe Vizeu). Técnico: Renato Portaluppi.
Bahia 1
Douglas; Nino Paraíba (Flávio), Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Elton, Eric Ramires (Guerra), Gregore, Arthur e Elber; Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado. 
Gols: Everton (47/1T) e Gilberto (3/2T) 
Cartões amarelos: Moisés e Lucas Fonseca (Bahia); Matheus Henrique (Grêmio)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Público: 28.838
Renda: R$ 892.916,00

Pouco inspirado,O Inter perde para o Palmeiras por 1 a 0 A Equipe paulista aproveitou falha de marcação para largar na frente nas quartas de final da Copa do Brasil 2019

Tal como na partida do Campeonato Brasileiro, o Inter caiu na armadilha do Palmeiras, no Allianz Parque. Num jogo truncado, a equipe colorada sofreu o gol cedo e, mesmo tendo mais posse, não teve forças para superar o bloqueio do rival. Volta de São Paulo com derrota de 1 a 0 e desvantagem no confronto das quartas de final da Copa do Brasil. 
As duas equipes voltam a se enfrentar na quarta-feira que vem, no Beira-Rio. Para se classificar, o Colorado precisará de uma vitória por dois gols de diferença – se vencer por um, força a decisão nos pênaltis. Os paulistas avançam com qualquer empate. Antes disso, os dois voltam para o Brasileirão. Enquanto o Inter encara o Athletico, em Curitiba, o Palmeiras tem clássico contra o São Paulo, no Morumbi. 

Em jogo truncado, A vantagem Foi feita para o Palmeiras

O Inter entrou no campo do Allianz Parque com a proposta de segurar o Palmeiras. O técnico Odair Hellmann optou por deixar D'Alessandro no banco para a entrada de Patrick na equipe titular. Acabou perdendo o meio-campo e tendo dificuldades para o adversário. 
As duas equipes fizeram uma etapa inicial bastante truncada. E, neste estilo de jogo, os donos da casa levaram a melhor, abrindo o placar aos 19 minutos depois de a bola ter sobrado para Bruno Henrique na direita. Ele cruzou e aproveitou a falha de marcação da defesa colorada. Zé Rafael, livre, desviou e correu para o abraço. 
A reação do Inter foi rápida e, na única conclusão ao gol que teve, Nico López testou os reflexos do goleiro Weverton aos 22. O jogo, então, passou a ficar mais truncado, com execesso de faltas na meia-cancha – foram 25 ao todo no primeiro tempo – e poucas conclusões para os dois lados. 
Aos 42, a torcida palmeirense soltou um grande “uh” das arquibancas, quando, após cobrança de falta de Bruno Henrique, Dudu pegou de primeira e muito forte de fora da área. Passou perto, mas ficou nisso o primeiro tempo. 

Tímida e insuficiente reação

Odair tentou corrigir o problema do meio já no intervalo, promovendo a entrada de D'Alessandro na vaga de Nonato. E já nos minutos seguintes a tônica da partida mudou, com o Inter tendo um pouco de mais posse e ficando mais perto da área adversária. O problema é que os colorados não conseguiam a conclusão e deixaram espaços para a que os donos da casa chegassem com força no contragolpe. Nisso, Dudu teve dois chutes fortes – e para fora – nos dez primeiros minutos. 
E, nessa batida, o Inter descolou o seu primeiro chute do segundo tempo somente aos 22. Após cruzamento de Uendel, a bola sobrou para Nico López, de costas para o gol. Ele conseguiu virar, mas mandou fraco e fácil para Weverton fazer a defesa. O uruguaio, que era quem mais arriscava, acabou sendo substituído logo depois por Rafael Sobis. 
O Palmeiras, aos 34, quase fez o segundo em uma bonita jogada de ataque que só não foi perfeita porque Bruno conseguiu esticar o pé para brecar a conclusão de Bruno Henrique quase na pequena área do Inter. Do outro lado, a principal esperança de gols do Inter, Guerrero seguiu bem marcado e pouco acionado até ser substituído por Guilherme Parede, aos 47 do segundo tempo, quando já não havia tempo para mais nada. 
Copa do Brasil 2019 - Quartas de Final
Palmeiras 1
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique e Lucas Lima (Raphael Veiga); Dudu (Willian), Zé Rafael e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Inter 0 
Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenilson e Nonato (D’Alessandro); Nico López (Rafael Sobis), Patrick e Paolo Guerrero (Guilherme Parede). Técnico: Odair Hellmann.
Gols: Zé Rafael, aos 19'/1T (P)
Cartões amarelos: Cuesta, Moledo e Rafael Sobis (I), Luan e Felipe Melo (P)
Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (trio goiano).
Local: Allianz Parque, em São Paulo.